PROGRAMAÇÃO & ITINERÁRIO

Carinhosamente chamada de “Princesinha do Paraguai”, o município de Corumbá-MS foi onde iniciou a jornada do Pantanal Poética. Mas, com o intuito de proporcionar o contato com as paisagens e realidades diversas da região, nossos participantes embarcaram em um trajeto repleto de atividades ao longo do rio Paraguai. Confira o mapa da viagem, a programação realizada e informações de locais e projetos que foram visitados pela expedição Pantanal Poética:

Museu de História do Pantanal - MUPHAN
Inaugurado em agosto de 2008, no histórico prédio Wanderley & Baís, construído em 1876, no Porto Geral de Corumbá, o MUPHAN retrata a identidade do Pantanal de forma lúdica, didática e interativa, com recursos cenográficos. No espaço é possível conferir fósseis, fragmentos arqueológicos, bem como obras interativas que abordam temas como a guerra com o Paraguai, incursões jesuíticas, ocupação indígena e atividades econômicas desta região.
O MUPHAN funciona na rua Manoel Cavassa, Porto Geral, de terça a domingo das 13h30 às 17h30. Para mais informações ligue: 3232-0303.

Serra do Amolar (RPPN Elieser Batista)

Um dos mistérios do Pantanal, a região do Amolar é tão distante e secreta, encravada entre Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e a fronteira boliviana. Com montanhas, rios, lagoas e campos alagados durante o ano inteiro, é um lugar onde os homens precisam viver em simbiose com as águas.

Nessa região está localizada a RPPN Engenheiro Elieser Batista, a área foi adquirida pela mineradora MMX em 2006 e transformada em RPPN em 2008. Dos 20 mil hectares da propriedade, cerca de 13 mil hectares foram transformados em área de proteção. O local faz parte da Rede de Proteção e Conservação da Serra do Amolar (RPCSA) do qual integram o ICMBio através do Parque Nacional do Pantanal Matogrossense, Fazenda Santa Tereza e as organizações não governamentais Fundação Ecotrópica, Instituto Acaia Pantanal e o Instituto Homem Pantaneiro (IHP). A RPCSA também conta com o apoio da 2° Companhia de Policia Militar Ambiental do Estado de Mato Grosso do Sul.

http://www.institutohomempantaneiro.org.br/index.php?pag=ver_programas&id=813

Escola jatobazinho (Instituto Acaia)

O Instituto Acaia é uma organização social sem fins lucrativos que acolhe e oferece atividades sócio-educativas a crianças, adolescentes e famílias em seus três núcleos: Ateliê Acaia e Centro de Estudar Acaia Sagarana situados na Vila Leopoldina (SP) e Acaia Pantanal situado em Corumbá (MS).

Situada na região da Serra do Amolar, em Corumbá, MS, a Escola Jatobazinho, atividade central do Acaia Pantanal, é referência em ensino de qualidade para a região. A escola integra a rede municipal de ensino e os alunos são crianças e adolescentes das comunidades ribeirinhas, estudando em regime de internato, devido ao difícil acesso na região. As atividades iniciaram em 2009 com 39 crianças e adolescentes com defasagem na idade escolar. A antiga pousada Jatobazinho, situada em uma fazenda desativada, foi recuperada e adaptada para abrigar a escola.

http://www.acaia.org.br/acaia-pantanal

Porto Geral

O Porto Geral de Corumbá é um dos principais cartões postais da Capital do Pantanal. Abriga uma série de construções que traduzem em sua arquitetura muito do passado efervescente do comércio corumbaense, no período em que a cidade tinha o terceiro maior porto fluvial da América Latina.

Os casarões hoje abrigam estabelecimentos comerciais, de agências de publicidade a lojas de artesanato e bares. No passado foram empórios e agências bancárias, além de residências das famílias que enriqueceram com a navegação fluvial. Para valorizar seu aspecto histórico e cultura que o SESC escolheu o Porto Geral como endereço de sua sede em Corumbá. Saiba mais sobre o Porto Geral e outras atrações turísticas de Corumbá em:

http://www.corumba.ms.gov.br/site/corumba/2/pontos-turisticos/8/

Informações sobre o Sesc Porto: (67) 3232-3130 ou (67) 3231-5938

Moinho Cultural

Localizado No Porto Geral em Corumbá (MS), há 10 anos o Instituto Moinho Cultural Sul Americano transforma as vidas de crianças e jovens em situação de vulnerabilidade. Nesse período, mais de 1.400 estudantes já participaram das atividades oferecidas diariamente, em período de contraturno, com aulas de ballet, música, informática, apoio escolar, dentre outras. O Moinho também beneficia crianças e jovens do município de Ladário e das cidades bolivianas Puerto Suarez e Puerto Quijarro, possibilitando um importante intercâmbio cultural.

Além disso, seus espetáculos, eventos e atividades culturais e sociais atingem anualmente cerca de 40 mil pessoa. Saiba mais sobre O Moinho Cultural Sul Americanos, seus projetos e ações no site:

http://moinhocultural.org.br